segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Desabafo...

Olá, Tudo bom? 

O domingo por aqui foi agitado. Cozinhar, arrumar, lavar, dar atenção pra marido e filha...
Geralmente os meus finais de semana são sempre assim. Tento me desdobrar em várias - mãe polvo - pra cuidar da casa e conseguir dar atenção pro marido e pra pimpolha.
Tento planejar mentalmente as coisas que preciso fazer e juro que na minha cabeça eu acho que vou dar conta de tudo, mas não consigo fazer nem a metade... É assim com vocês também?  

Eu trabalho todos os dias - de segunda a sexta - saio de casa um pouco antes das 07hs e geralmente chego em casa por volta das 20hs. O que me deixa com pouco tempo pra fazer qualquer coisa de afazeres domésticos durante a semana, por que eu prefiro mil vezes dar atenção pra Estela do que qualquer outra coisa. As vezes chego em casa e ela já está dormindo, o que me deixa de coração apertado e triste, pois quando eu saio de casa ela ainda está dormindo e ela acaba não me vendo. No fundo me culpo por não poder ficar ao lado dela todos os dias, mas sei que isso não é o certo.

Desde quando a Estela começou a frequentar a escolinha (em agosto/14), ela parou com as sonequinhas da tarde, por que ela está estudando justamente neste período. Então ela tem ficado cansada mais cedo e a faz dormir mais cedo (as vezes). Então tem dias que eu chego e ela já esta dormindo... nesses dias eu sinto uma vontade enorme de jogar tudo pro alto e fo$#-se... parar de trabalhar e me dedicar exclusivamente a ela. Mas hoje em dia está muito complicado levar uma vida confortável, com todas a regalias que temos hoje em dia com somente uma pessoa trabalhando na família.
Depois que Estela nasceu eu optei por parar de trabalhar, pra poder ficar com ela. Fiquei 1 ano em casa e pude acompanhar todo o  desenvolvimento dela e foi tão bom, tão maravilhoso.  mas também foi sufocante, uma loucura e eu me sentia anulada, ignorada, excluída. Só não me pergunte o por que já que a escolha de ficar em casa foi minha. Mas nem eu sei explicar.. só sei que foi assim... eu estava aponto de surtar, de virar a Maria Louca e me jogar pela janela. Passaram tantas coisas na minha cabeça, eu me sentia sufocada, presa numa rotina que já estava me tirando do sério... 
Vai entender cabeça de mãe - simplesmente não dá! Só sei que a minha é cheia de neuras, de dúvidas...
Mas de uma coisa eu posso ter certeza - eu tenho acertado mais do que errado. E aprendo com os erros... Estela, mesmo no auge dos seus 2 anos e 5 meses, tem me ensinado tanta coisas. Tem me ensinado a ser mais paciente, mais tolerante, mais maleável... como pode um serzinho mudar tanto as nossas convicções? Me faço essa pergunta todos os dias e não encontro respostas. Sé sei que Estela me faz um bem sem tamanho... ela trouxe mais luz e mais cor a minha vida e todos os dias ao lado dela é mais especial que o outro.

E essa somos nós... "grudinhas", E mesmo com toda essa confusão na minha cabeça, eu não faria nada diferente do que eu já fiz. Faria tudo de novo... 


Me desculpem as palavras confusas, o texto sem sentido, fora de ordem... mas é justamente assim que minha cabeça está ultimamente. Sem saber ao certo o que fazer, que caminho tomar... mas quem disse que cabeça de mãe é boa? rs*

Beijos, 
A Mãe da Estela ♥

7 comentários:

Gi E Pedro disse...

Me sentia igual a você quando trabalhava. Mas é como você falou uma pessoa só não daria conta do luxo que vocês têm. Sacrifício é isso!
Mas tenho certeza que não falta muito amor. É difícil tomar conta dessa rotina toda, mas o importante é priorizar os bons momentos.
Beijos

ღღღღ Cici ღღღღ disse...

Eu admiro muito mães, como vc, que trabalha fora e ainda tem todos os afazeres de casa e tals.
O ideal seria toda mãe trabalhar por apenas meio período, né! Mas...
Fique bem, viu!
Bjns
:)

Tatiana candido vilela disse...

Que linda Estela! Felicidades e coragem pra driblar os desafios. Bjs.

Clícia Godoy disse...

Oi,

Eu não sou mãe, mas tenho uma vontade de ser mãe...
E enho vontade de pode acompanhar também bem de perto! Imagino com deve ser.. rs
Quer dizer... tenho uma ideia... rs

Bjs
Silêncio Que Eu To Lendo

Amehlia Digital ® disse...

Cabeça de mãe é assim mesmo...
Eu escolhi ficar em casa. Foi fácil? Não! Mas hoje não me arrependo. Não me sinto anulada, nem menos dos que as que trabalham fora. Mas, essa foi minha escolha.=}
Aproveite todos os momentos, isso sim vai ficar na memória!
Um bejim!

Bijou disse...

Adorei seu relato. Estou em plena licença maternidade e curtindo cada segundo com a minha filhinha. Não consigo nem pensar quando tiver que voltar a trabalhar, me parte o coração pensar em ficar longe da minha Catarina. Antes da minha filha nascer eu nem cogitava me tornar dona de casa, agora, se eu pudesse, se meu dinheiro não fizesse falta acho que consideraria seriamente largar o emprego pra me dedicar exclusivamente à minha família. Mas também acho que algum dia ia acabar me sentindo anulada e achando que deveria ter perseguido uma carreira profissional... Ai ai, é tão difícil, né? Queria ter nascido com a grana do Chiquinho Scarpa pra não precisar trabalhar, isso facilitaria, rsrs.

Beijos!
http://baudabijou.com.br

Alessandra Santos disse...

Olá!
Vim retribuir a sua visitinha ao meu Cantinho e volte sempre!
Eu tbém resolvi ficar em casa assim q. meu filho nasceu, agora ele está com 2 anos e 8 meses, coloquei na escolinha agora em agosto, meio período para q. ele possa socializar com outras crianças, pois onde moro não tem nenhuma...
E confesso q. muitas vezes me senti como vc...
Mas no meu caso, resolvi curtir 100% o meu filhote!
Cortamos alguns gastos para q. eu pudesse acompanha-lo. E não pretendo voltar por enquanto, no momento sinto realizada sendo apenas Mamãe do Davi e esposa, kkkkk....
Quem sabe um dia, qdo ele já estiver mais independente eu volte...mas como vc mesma disse: - Cabeça de mãe é mto confusa, kkkkkkk....
Mas cada dia de uma vez...
Lindo fim de semana!
Um super bjo!

Alê- Bordados e Crochê
Fã Page

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...